Jesus, Filipe e o homem emasculado

- Me explica direito, Filipe. O que Isaías estava dizendo aqui? Ele estava falando de si mesmo quando disse “foi levado como um cordeiro ao matadouro”?
- Não, meu caro eunuco. Nosso Isaías estava falando de Jesus, o messias.
- Bem, aqui diz que “o castigo que nos salva pesou sobre ele; fomos curados graças às suas chagas”.
- Sim, meu amigo. Jesus nos tirou das trevas, nos reconciliou com o Pai, nos eternizou porque nos amou desde sempre. Lindo este capítulo de Isaías 53, não é?
- Tem razão, Filipe, estou perplexo com a profundidade de amor e sacrifício entre o Pai e Jesus, por levar em conta a nossa mera e frágil vidinha. Como ele pode me amar, Filipe? Como ele pode ter feito isso por mim também?
- Meu amigo, você não é apenas “mais uma criatura” do reino, você é um filho amado dele. Em suas veias, corre o DNA Dele.

- Filipe, quando você fala, me faz sentir como se eu fosse um ser humano comum. Enquanto você fala, me sinto a vontade para me assemelhar com você, com a minha família e alguns poucos amigos que tenho. Mas não é verdade. Sou uma escória. Uma aberração. Um híbrido de gente que possui um corpo para servir reis e rainhas.
- Ora, se você não fosse um filho Dele, por que Ele haveria de me mandar ter contigo? Pare com esta conversa...
- Filipe, você não sabe como é viver assim. Meu corpo é o meu jugo, meus instintos são diferentes. Você acha que Jesus ama um hijra, um intersexual, um transgênero, um eunuco?
Então Filipe, sorrindo e com um semblante calmo, sereno e tranqüilo, disse:
- Mano, o próprio Espírito Santo cochichou em meus ouvidos: “Chega-te, e ajunta-te a esse carro onde está meu querido eunuco...”
Pensando muito e com a respiração ofegante, o eunuco respondeu:
- Filipe, você está vendo aquele riacho?

- Sim, meu amigo, estou vendo.
- Mediante ao que você me disse e que fez meu coração acelerar e minhas pernas tremerem, o que me impede que eu seja batizado agora, neste exato momento por você? Vamos! Diga sem poupar nada! Sei que não é tão fácil assim como você propõe...
Então, Filipe, livre de preconceito e cheio do Espírito Santo, abriu um grande sorriso e disse:
- Meu amigo, apenas creia de todo o seu coração, de toda a sua alma.
Logo o eunuco bradou:
- Sim, Filipe! Eu creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus! Eu Creio – bradou em lágrimas, o eunuco etíope.
- Então, amigo, que assim seja! Sem mais delongas, seja batizado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!
- Amém!
Disse ainda Filipe:
- Meu amigo, vou seguir o meu caminho e você continue o teu. O que está em você é o teu reconciliador perante o Pai. Não temas mal algum. Não andeis ansioso. Não turbe o teu coração. Não te condenes naquilo que Jesus já levou sobre a cruz.
Segue o teu caminho, continue a viver transmitindo esta boa nova e em oração para que haja salvação no meio dos teus familiares, amigos, hijras, intersexuais, transgêneros, eunucos e toda pluralidade de raça, sexo, culturas e tribos.
A boa nova do Senhor é que ele nos reconciliou com Deus e a nós, basta crer não com palavras, mas com vida cheia dessa boa nova que nos faz continuar no nosso caminho se assemelhando mais com ele e provocando assemelhações a todo aquele que nele crê.
Você não chegou em Isaías 56, não é? Mas vou te adiantar:
“Porque eis o que diz o Senhor: aos eunucos que observarem meus sábados, que escolherem o que me é agradável, e se afeiçoarem à minha aliança, eu darei na minha casa e dentro de minhas muralhas um monumento e um nome de mais valor que filhos e filhas; dar-lhes-ei um nome que jamais perecerá.”
Paz seja com você e reverbere sempre aquilo que você recebeu agora!
Amém!

Baseado nos grandes “atos dos apóstolos 8”. Atos raros, atos empurrados para debaixo do tapete nos dias de hoje ou meditados de modo leviano.

2 comentários:

CHICCO SAL disse...

Talvez, Felipe estivesse indo ainda mais além, conversando com o eunuco a respeito de Isaías, talvez lembrando disso aqui também: "
Isaías

56.4 Porque assim diz o SENHOR: Aos eunucos que guardam os meus sábados, escolhem aquilo que me agrada e abraçam a minha aliança, 56.5 darei na minha casa e dentro dos meus muros, um memorial e um nome melhor do que filhos e filhas; um nome eterno darei a cada um deles, que nunca se apagará."

Nós é que temos o costume de enxegar apenas o que vemos...

Anônimo disse...

É isso ai ... a lição de não julgar e amar não ao pecado, mas amar e amar muito ao pecador.Tanto quanto nos amamos!

Lição de vida ... hoje colhemos mais uma rosa no caminho!

Aline