Deus e o ateu



- O que estou fazendo aqui? Sou Ateu!
- Meu filho, você está aqui porque creu! Ainda você diz que é ateu, mesmo estando aqui comigo? – pergunta Jesus com um sorriso no rosto.
- Ora, ora, ora, mais será o Benedito! Como posso estar aqui se eu morri negando a sua existência?
- Meu filho, você apenas não creu naquilo que ouviu e leu, porém, você se confessou e creu em mim com o teu coração. Você ouviu e leu diretamente de mim sem saber.
O ateu responde com um sorriso irônico...
- Acho que bebi demais...
Então Jesus continua:
- Filhote, o que você acha que eu vi em você?
- Senhor, pode parar! Não me lembro de ter me confessado nada e nem me lembro de ter oscilado em minha postura sobre tua inexistência. Pode parar! Inclusive, ainda tenho umas dúvidas se você realmente existe...
Então Jesus, manda o ateu sentar e escutar:
- Olha, como você diz que não creu sendo que você se tornou quem eu tanto ensinei? Você acha que crer é algo além do que ser o tipo de pessoa que eu ensinei? Você acha que basta receber a informação de que eu morri na cruz e fixar isso na mente de um modo como uma criança fixa o meu concorrente (“concorrente” é a conclusão dos meus amados filhos evangélicos), papai Noel, em suas imaginações?
- Jesus, eu continuo não entendendo...
- Filho, se eu fosse avaliar alguém pela convicção intelectual a respeito do Evangelho, ia ser muito complicado. Você viu lá na Terra, como a compreensão a cerca do meu reino se diverge de pastor para pastor, de igreja para igreja, de teólogo para teólogo? Pois é, a miscelânea era tão grande que inventaram muito cavalo com chifre entre eles.
- E como fica o caso deles, Jesus?
- Bem, para eles o princípio é o mesmo. Independente se eles eram da ala liberal, pentecostal, neo-pentecostal, tradicionais, católicos, judeus e etecéteras, vou sondar quem foram eles, pois através deste esquadrinhamento que faço no coração, revelam-se em quem eles creram realmente. E o “como eles reagem” baseado nas crenças, muitas vezes, não passa de um ledo engano religioso.
- Jesus, mas a bíblia deixa claro que eu teria que crer, confessar, batizar....e nada fiz e nada cri!!
- Filho, toda a minha recomendação que deixei com eles, se resumia em “amar o próximo como a ti mesmo”, se desapegar, se doar! Quantas vezes eu disse para eles deixarem de viver em favor dos seus umbigos para se relacionar com o próximo em amor e cuidado? Quantas vezes eu disse que é melhor dar do que receber? Quantas vezes eu disse que, em fazendo algo de bom ao próximo, vocês estariam fazendo a mim? O sistema religioso era tão implacável que até você me diz na minha frente “mas a bíblia deixa claro...” Você esta vendo o tamanho da confusão feita? Eu falo algo e vocês interpretam a bíblia contra mim! Lembro até hoje quando o meu amigo Tiago escreveu que a “minha religião era ajudar o próximo”, quase foi considerado um livro apócrifo. O pessoal disse que “obras não salva”. Mal sabiam eles que Tiago estava dizendo o que os meus filhos fazem e são e não como alcançar a salvação através de obras. Bem, isso foi coisa daquela instituição, que não me vem à memória o nome, que dizia que para se salvar, teria que se credenciar a igreja e cumprir todo um ritual e sacrifícios e apenas andar de amor em amor, não era suficiente.
- Jesus, o que o senhor viu em mim? Diga-me!
- Filho, você andou como eu andei. Cuidou de gente, vestiu o nu, deu água a quem tinha sede, chorou com os que choraram, não era apegado a nada e não pensava duas vezes em ser uma luz, uma ponte e um abrigo as pessoas. Você não fazia bondade para se salvar, você apenas era como eu e como aquelas crianças que me rodearam uma vez, sem saber quem eu era, com aquelas carinhas angelicais, onde só tive de dizer que delas, já era o reino dos céus. Você não pregou o Evangelho com a boca, porém você pregou com o teu jeito de ser e agir nas coisas mais triviais da vida e você “fez muitos discípulos” desse modo, assim como eu ensinei. A fé que me agrada nasce em corações sinceros diante de mim e jamais desprezo um coração contrito e cheio de amor, que é o resumo do Evangelho. Afinal, o que você acha que é “crer em mim”? Você acha que palavras me convencem? Eu vejo quem é você, e em quem você se torna dia após dia! Viu como eu te conheço melhor do que você mesmo? Se dependesse de você, você mesmo se condenaria... A tua salvação não se deu em fazer caridades e muitos menos manifestar-se religiosamente, você foi salvo porque creu em mim e crer é ser como eu e isso é muito mais do que ser partidarista a minha morte na cruz ou a outro fato da minha história como messias. Feliz é aquele que me conheceu e creu, feliz é aquele que não me conheceu e creu (estes são aqueles desconhecidos, pregado pelo meu compadre João Batista, quando disse que muitos desconhecidos sentarão na mesa de Abraão no lugar dos seus filhos), infeliz é aquele que conheceu, mas não creu.
- Jesus, eu estou sem palavras, não esperava que isto fosse acontecer comigo.
- Você apenas foi um filho que não teve a oportunidade de conhecer seu Pai. Estou aqui. Temos o mesmo DNA, que é o amor! Bem chega de papo!
- Jesus, eu tenho uma curiosidade, e Nietzsche, foi salvo?
- Bem, entre e vamos dar uma checada na lista...
- Ok! Vamos então. Primeiro o senhor, Jesus.
- Obrigado.
- Jesus, eu cresci ouvindo que religião não salva...
- Pois é meu filho, agora você acredita?
- Jesus, mais uma pergunta, e o pecado, e o arrependimento?
- Meu Deus do céu! Acabei de dizer que quando sondei você encontrei um homem bom, que guardava meus mandamentos sem saber, cheio do meu espírito e que fazia de tudo para não fazer mal a ninguém e nem a si próprio. Quer mais arrependimento do que isto? O que você queria? Um confessionário aqui na porta? Filho, eu acho que você era evangélico, pois eles adoram um ritual...

9 comentários:

Anônimo disse...

Muito doido isso chefe, estou comecando a descobrir o filao! Parabens! Duque.

Kaio Alegretti disse...

Sinto muito, mas as Biblia diz que temos que confessar com a boca e se partirmos deste pré suposto, a salvação vem pelas obras e se vem pelas obras pra quê a morte de Jesus?

Dá pra crer com a boca e descrer com o coração, mas o contrário é impossivel, por que o homem é mau em sua natureza.

Na terra não há justos, se houvesse Jesus não viria.

O fato de um texto ser bem escrito não significa que é a verdade.

Moisés, vc sabe que eu te amo e admiro, mas não ponha palavras na boca de Jesus.

Moisés Lourenço Gomes disse...

Quanta violência, Alegretti...rsrs
“não ponha palavras na boca de Jesus.”rsrsrs

Quem confessa e não se torna como Cristo foi, o nega – não confessou. A grande questão é “como ser semelhante a Ele?”
A questão não é “fazer”, mas ser e esse “ser” está atrelado ao modo que vive e isso, em hipótese alguma é mera confissão.
Confissão que não seja carregada do “Ser como Ele”, não é confissão, posto que o “Ser como Ele” é o que Jesus ensinou:

(Mateus 10) - e se alguém der, mesmo que seja apenas um copo de água fria a um destes pequeninos...
(Mateus 19) - quer vida eterna? vá, venda os seus bens e dá aos pobres...
(Mateus 25) - Jesus afirma que os salvos são aqueles que lhe deram de comer, beber, que cuidaram das enfermidades, que visitaram na prisão e que acolheram os desabrigados. E os "candidatos ao inferno," são os que nada fizeram nesse sentido.

Obras não salva e fé sem obras, não existe; é morta, logo, caridade, para galgar salvação, é perdição, contudo, há os filhos que estão sob a “Ordem de Melquisedeque”. Estes são filhos que não sabemos os nomes. Muitos nem tem a informação histórica de Jesus, porém são semelhantes a Cristo, não pelo que fazem com, mas pelo que são.
Aí, é Ele que julga o que é de palha e o que é de prata.

Abraços, mano!

Kaio Alegretti disse...

Vc colocou alguns pontos de vista dos quais ainda não havia pensado. Mas o que dizer a respeito da natureza humana? Todos pecaram e estão separados da glória de Deus.
E, neste caso, não entendo o pecado como um "ato pecaminoso"e sim como o estado mal da alma, e só através de Jesus Cristo temos acesso ao Pai.

Mas numa coisa concordamos, Jesus é o caminho, fora dele não existe salvação.

Mas na minha mente, alguém que é ateu e despreza a existência de Deus e ainda a combate, como em seu conto, não tem condições de ter acesso à santa presença de Deus, pelo simples fato de que sua natureza não foi transformada por Jesus.
E Mateus 25, em meu entedimento, se refere à igreja e não ao mundo.

Bj me liga!

Kaio

Ps. Não sou violento não, hein, da próxima vez que vc falar isso eu te pego de porrada!!! : ) (brincadeira...rsrs)

Moisés Lourenço Gomes disse...

Sim. Pecado é estado.
Sim. Não é o mundo, é a igreja e igreja é corpo composto por gente que anda conforme a consciência do Evangelho.

Os filhos Dele são homens e mulheres que apesar de pecadores, se assemelham, dia-a-dia, com Ele. Deste modo, os atos não têm voz quando se está em Cristo.
Quem anda com Ele, não precisa anotar os pecados para lembrar de pedir perdão (caso esqueça, vai pro inferno).

Quem deixa o pecado ou vive tentando se desvencilhar, já está perdoado, pelo fato de sua consciência ser como a de Cristo: não se conformar com seus erros.

Moisés Lourenço Gomes disse...

Outra coisa: Jesus é amor e sua lei é o amor.

Quem poderá julgar a "transformação de natureza" de alguém, senão o próprio Deus?

Os quatro evangelhos narram que natureza mudada é corpo, alma, mente e coração moldada por Ele.

Ele demonstrou quem foi e como viver. Nos inspira e faz-nos reconhecer com os que também seguem os seus passos.

Jesus é Deus do universo e não ha limites para que ele reconheça os seus, nos quatro cantos da Terra, desde quando não se ouvia falar dele, nas nações mais distantes da cultura judaico-cristã.

Mayara Sá disse...

Uau! o melhor de todos os tempos! hahah dei altas risadas!

valeu!

Mayara

Mayara Sá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Professor Wesley disse...

profundo chefe!!!