Bem-aventurado é aquele que critica, reflete, protesta, rejeita, contesta e desconfia!

"Fulano é do contra" – É assim que muitos são imputados. "Fulano fala mais não faz nada" – Muitos chegam a essa conclusão, sem ter propriedade pra fazer tal asseveração. Desde que "gente é gente", somos coagidos a calar-se diante questionamentos que surgem em nossa mente. Através da "massa de manobra" muitos charlatões chegam ao poder. Através do emburrecimento de um povo, cria-se fiéis clientes, devotos fundamentalistas e propagadores que sentem o sabor de picanha em suas irrisórias "verdades" quando, na verdade, comem excrementos!

A gangrena mental, também é cultivada dentro das igrejas. Qualquer manifestação de discussão de determinado assunto compromete a reputação de quem o faz. Não demora muito, para ouvir acusações ou "meros" e maléficos comentários. A associação dos que tem a consciência atrofiada em relação aos questionadores, geralmente se restringe em afirmar que "quem discute, não faz". Ora, a discrepância é tão grande quanto os anéis de Saturno! Quem discute, geralmente quer aperfeiçoar a si mesmo ou um sistema de pensamento "acoplado" imperceptivelmente, na concepção generalizada entre homens. Isso por si só, não revela nada aquilo que eu faço ou deixo de fazer!

Geralmente, muitos aceitam uma "mudança de opinião", facilmente, porque não estiveram inseridos na fase de dúvida-questionamento-insistência. Comer algo já pronto (suculento e aromático!!) é irresistível e fácil (Bem-aventurado é aquele que tem sorte em comer algo realmente bom!!). Poucos querem fazer parte de uma boa produção. Poucos querem conhecer a raiz de algumas celeumas vigentes. Poucos querem voltar a "horta" das idéias, para limpar o terreno e melhorar as condições de afloramento de concepções. Afinal, participar da racionalidade em evolução, pode exigir que seja feita deletações de costumes, tradições e cadeias de pensamentos estabelecidos a milênios! Não é toa que milhares de pessoas que fizeram grandes ou pequenos descobrimentos, releituras, reformulações, somente depois de terem morrido, foram reconhecidas. Pois enquanto estiveram vivas, viviam implicando com o que se era predominante!

A grei do capitalismo, por exemplo, acha "elegante" viver num grande "drive-thru", relacionar-se com um "terminal", receber em "5 minutos", o almoço num "saco de papel", e por fim, devorar um alimento todo "sintético"!! Arrotamos com orgulho!! Graças a Deus, Ele conhece o meu coração e minhas obras! Não devo justificativa a ninguém! "Quem sou", é conhecido por aquele que É, e Nele não preciso "divulgar" minhas ações movidas pelas minhas inclinações altruístas e meus intentos gerados por Ele em mim! Como vivo num "oceano não-mapeado das idéias", busco, Nele, entendimento, difundindo-se e em mim, despoluição, desprendimento e consciência de muitas torpezas. Não cabe a nós relacionar os nossos "feitos", farisaicamente, para sermos enquadrados como "agentes de Cristo" na Terra.
 

Não levemos em consideração a desfeita ofensiva daquele que aponta devido a nossa "boa atitude" não ser visível. Quem faz algo bom, e esse "algo bom" se torna público, a probabilidade dessa "ação caridosa" ser diluída perante Deus, é muito grande! Pois muitos fazem disso, um palco de vantagens! Não deixe que os "Leviatãs" tirem sua capacidade de pensar e a sua liberdade de discordar! Afinal, quem pensa, age melhor!

Abraços!

3 comentários:

Palavra de Deus - Palavra do Homem disse...

Magnifico, texto...
temos que parar de ser meros espectadores, para sermos os protagonistas das mudanças que a partir de nos, podemos realizar
parabens moises

Jaque... disse...

Digno de aplausos...
menino moises modesto.

Sandro disse...

Mano querido...é por isso que gosto de você ... embora eu seja um "bebê" nas elucubrações,me identifico muito com seus textos...

Continue nos "alimentando" com seus pensamentos.

Abraço manooo!!!!

Sandrão